Publicado por: Paulo Fragoso | 24/05/2009

Tempo da bengala

Chegamos a uma certa altura da nossa vida em que não há ninguém que não pense em como vai ser a sua velhice. Como será ter 70 anos? o que farei? como estarei? com quem? e estarei? Depois de uma vida dedicada ao trabalho anseia-se por dias tranquilos. Ninguém se verá de alguma forma, numa posição menos agradável. Dores nos ossos sim, mas nada mais que isso. Os filhos bem na vida e de bem com a vida. Os netos a rodearem-nos e a assimilarem a sabedoria de uma vida longa. A calmaria a tomar conta de nós, mais que merecida, depois de tanta labuta, de tantos anos a correr pela vida e a vida a saltitar com perna longa a fazer gato sapato do tempo que de tão transparente nos passa ao lado. O curioso deste ciclo é que cada fase, cada período, tem as suas características,os seus cheiros, os seus ingredientes. Há as doces, as azedas, as picantes, as ensonsas. O que interessa é que de cada uma delas se retire o sal da vida que, como deve ser, nunca é bom ser demais nem de muito menos. Vivemos um dia a correr atrás do outro sem a certeza do que encontrar. Mas sabemos o que já foi encontrado. E isso, já ninguém nos pode tirar.

Anúncios

Responses

  1. “A vida só é vivida quando envolvida na vida de outra vida”, disseram-me um dia… A ânsia de termos alguém que nos acompanhe nesta cruzada que por vezes é a vida:”aquela” pessoa, que continua a olhar para nós como da 1ª vez! De termos amigos que sempre estiveram LÁ! A acompanhar-nos na nossa luta, a torcer por nós, a vibrar com as nossas vitórias e a chorar com as nossas derrotas!Ninguém se imagina só!Ninguém quer chegar a essa etapa da vida sózinho!A solidão entristece… A solidão coloca-nos a pensar no que fizemos… Pior!!!! No que poderíamos ter feito!! E só nos devemos arrepender do que não fizemos, dizem…
    O que interessa é chegarmos ao dia da “compra da bengala” e tal e qual um contabilista sabermos fazer o balanço!!Dos risos, dos choros, das alegrias e tristezas!! Tudo faz parte! Tudo nos engrandece! Tudo nos ensina!! E quando esse dia chegar, termos a coragem de olhar ao espelho e orgulharmo-nos de cada ruga!! E até quem sabe, conseguir esboçar um sorriso… ao mesmo tempo que nos invade aquela sensação única de dever cumprido…

  2. estes dias a ler um livro intitulado ‘Uma cabeça bem feita” de Morin li o seguinte:

    “Cada UM deve estar plenamente consciente de que a sua própria vida é uma AVENTURA, mesmo quando se imagina encerrado numa segurança burocrática; todo o DESTINO humano implica uma incerteza irredutível, até na absoluta certeza, que é a da morte, pois ignoramos a data. Cada UM deve estar plenamente consciente de participar na AVENTURA da humanidade que se lançou no desconhecido em VELOCIDADE, de agora em diante, ACELERADA.”

    no dia-a-dia nao me preocupo em pensar como será a minha velhice!
    marquei um limite até aos 30 anos!
    e só consigo imaginar-me até essa idade!
    quando lá chegar (se lá chegar!) faço outra meta!
    e vou vivendo esta aventura que é viver!

    ah! na minha modesta opinião: a única coisa com que nos devemos preocupar é em encontrar a dosagem CERTA de sal na nossa vida! não precisa ser a perfeita! (porque para além de Deus ninguém é perfeito!) mas a NOSSA e isso BASTA!!!

    bju

    companhia radiofónica favorita!! ehehehe

  3. muitas vezes não será o que encontramos,mas o que procuramos e queremos encontrar.Muitas vezes deparamos-nos com o que não esperavamos encontrar e admitir!….dificil será admitir que caminhamos sempre a olhar para os lados e não a olhar em fente e ter a coragem de enfrentar,mesmo que sejam problemas daqueles que nos vão escrever as rugas do tempo…as marcas de que afinal apesar dos 70 ainda não se aprendeu tudo …..viver é assim um longo caminho pelo deserto da nossa existencia.
    muitas vezes,julga-se pelo que se vê,pelo que se mostra e pelo que tem.Pensamos que somos grandes e que temos grande valor,mas somos tão pequenos,que quando tentarmos segurar a bengala ,será ela que nos segura a solidão,nada mais.

  4. Até ao tempo da bengala, vivemos de Sonhos, porque esses são nossos, só nossos, transformados em realidade, serão o “alimento da nossa velhiçe”…
    Sem sonhos, as pedras do caminho tornam-se montanhas, os pequenos problemas são insuperáveis, as perdas são imsuportáveis, as decepções transformam-se em golpes fatais e os desafios em montes de medo. Os sonhos não são desejos superficiais. Os sonhos são bússolas do coração, são projectos de vida. Os desejos não suportam o calor das dificuldades. Os sonhos resistem às mais altas temperaturas dos problemas. Renovam a esperança quando o mundo desaba sobre nós. Quem não vive um romance com a sua vida será um miserável no território da emoção, ainda que habite em mansões, tenha carros luxuosos, viage em 1ª classse nos aviões e seja aplaudido pelo mundo. Precisamos de perseguir os nossos mais belos sonhos. Desistir é uma palavra que tem de ser eliminada do dicionário de quem sonha e deseja conquistar, ainda que nem todas as metas sejam atingidas. Não podemos esqueçer que vamos falhar 100% das vezes que não tentarmos, vamos perder 100% das vezes em que não procurarmos, vamos ficar parados 100% das vezes em que não ousarmos andar. Se sonharmos podemos sacudir o mundo, pelo menos o nosso mundo. Se tivermos de desistir de alguns sonhos, trocamos por outros. Pois a vida sem sonhos é um rio sem nascente, uma praia sem ondas, uma manhã sem orvalho, uma flor sem perfume. Sem sonhos os ricos ficam deprimidos, os famosos aborrecem-se, os intelectuais tornam-se estéreis, os livres tornam-se escravos, os fortes tornam-se timidos. Sem sonhos a coragem dissipa-se, a inventividade esgota-se, o sorriso é um disfarçe, a emoção envelhece. Libertar a nossa criatividade. Sonhar com as estrelas, para poder pisar a Lua. Sonhar com a Lua, para poder pisar as montanhas. Sonhar com as montanhas para poder pisar sem medo os vales das nossas perdas e frustações. Apesar dos nossos defeitos, precisamos de ver que somos pérolas únicas no teatro da vida e compreender que não existem pessoas de sucesso ou pessoas fracassadas. O que existe são pessoas que lutam pelos seus sonhos ou desistem deles, a pensar no tempo da bengala…
    Como diz Vinicius Sonhar que “è melhor ser alegre que ser triste a alegria è a melhor coisa que existe è assim como a luz no coraçao”

  5. Qual é o tempo do “tempo da bengala”? Depende.
    A uns chega mais cedo que a outros, mesmo sem o uso da dita cuja. Tenho medo da chegada do meu tempo da bengala, confesso. Enquanto ele não chega, deixa-me viver este tempo da melhor forma que puder, souber e conseguir, apesar do pessimismo pessoal com que nasci. Para os outros, aqui estou dando-lhes optimismo. É também para isso que existem os Amigos.
    Alguns dos tempos que já vivi foram para esquecer… só que não consigo. Penso ser normal.
    Portanto, cá fico à espera do meu tempo da bengala: 50, 60, 70, mais?
    Mesmo que tenha de vir a usar o dito objecto, que seja com qualidade de vida!

  6. Raramente penso nisso. No entanto, desde que se começou a falar que poderíamos não ter reforma, dei por mim a pensar como seria. Bem… parece que é melhor nem pensar. Trabalhar, trabalhar trabalhar!

    lol

    🙂

  7. Gosto muito do seu programa de rádio, moro no Brasil, e sempre estou ligado na RFM.

    Conheci a RFM buscando “informações” sobre Portugual um pais no qual eu admiro muito.

    Um Abração para todos vcs… Há, e sobre seu blog. Parabéns…rs rs rs, entrei mesmo pra dizer que estou ligado em vc na RFM, pois lá não tem espaço para nos ouvintes possamos escrever. Até Mais!

    Elton Antunes

  8. Olá!
    Adoro a RFM e a forma como conduz a sua emissão, desde já quero dar os parabéns pelo vosso trabalho!

    No que diz respeito ao assunto da postagem, já nem penso na reforma, penso antes em quem vamos ser! Isso sim, preocupa-me. Sou bastante nova, ainda, porém tenho uma avó com alzheimer.. Deixem que vos diga que é horrível. Ouvir falar é uma coisa, vivê-las é outra completamente diferente. Não há palavras que o descrevam. Ver e lidar com uma pessoa assim muda-nos. Nós não somos nada!! E se no futuro somos nós a ficar assim? E como vamos ter paciência para todos os seus disparates todos os dias????
    A reforma pode ser um assunto complicado mas perder a noção completa e total das coisas deve ser, na minha humilde opinião, mais dificil.

    Ah, Parabens pelo blog! é muito simpatico deixar-nos conhece-lo melhor e por querer conhecer a opinião do ouvinte:)


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: